A Harley do Papa está à venda!!!

O valor angariado será destinado à caridade

No ano passado, o Sumo Pontífice ganhou de presente de uma comitiva de vários motociclistas que foram ao Vaticano pelos 110 anos da lendária motocicleta Harley-Davidson, uma Dyna Super Glide, que possui 1585 cc. O Papa Francisco recebeu também uma jaqueta de couro para fazer par com a moto.

A casa de leilão Bonhams de Paris anunciou o leilão para o dia seis de fevereiro e estima que o arremate esteja entre  um valor de 12.000,00 a 15.000,00 euros. O valor integral será convertido em doação para a associação Cáritas Roma e já possui até um destino, a restauração do centro de acolhida Don Luigi di Liegro, situado na estação central de trens de Roma.

O modelo se tornou único, pois o Papa Francisco fez questão de deixar sua assinatura no tanque da moto, antes de realizar a doação.

Ben Walker, encarregado da seção de motos da Bonhams declarou que a casa de leilão se sente muito honrada em realizar essa venda e também devido a destinação dos fundos para a caridade, que uma causa tão importante.

O que não se sabe é se o Pontífice de 77 anos de idade, tenha alguma vez montado na motocicleta, mas como previu Walker, a kilometragem deve estar bastante baixa que também garantiu que irá ser feito o leilão da jaqueta que foi presenteada ao Santo Padre.

Fonte: El País (Espanha)

O Papa e a Harley

O Papa Francisco concede benção ao membros da caravana Harley Davidson que estiveram este domingo na Praça de São Pedro. Esta comitiva foi formada em homenagem aos 110 anos da famosa marca norte-americana de motocicletas. Outro dia, Sua Santidade havia recebido um quadro e uma jaqueta de couro dos motoqueiros!

Benção a integrante deficiente

A acolhida dos membros da comitiva da Harley ao Santo Padre

Além de assistir a Missa presidida pelo Santo Padre, os integrantes preparam uma série de eventos na cidade de Roma para prestigiar o aniversário da marca.

Como é bom ser católico

No nobis, sed nomini Tuo da gloriam

Ao sermos a única Igreja fundada por Nosso Senhor Jesus Cristo e termos os legítimos representantes dos apóstolos como nossos pastores e o único representante de Deus na Terra, na figura de Sua Santidade o Santo Padre, Papa Francisco. Realmente devemos nos regozijar em estarmos em tão boa companhia. Se isto não for suficiente, basta lembrar da quantidade de Santos e Martires que lutaram em pró da Igreja Católica nesses dois mil anos de história.

Material de estudo

A Igreja Católica possui uma imensa tradição formada nesse período, uma grande quantidade de material escrito, além da Bíblia que fica sempre na versão completa e não rasurada de outras igrejas. Possuimos o Catecismo, as Doutrinas, os sete Sacramentos, as Homílias, os escritos dos Santos e dos Doutores da Igreja.

Tanto material de estudo e ainda tem gente que se apega apenas a umas pouca páginas das escrituras, como fazem os “evangélicos”, que tentam reinterpretar as palavras de Deus e se omitem dos métodos e as regras da hermeneutica, como que banalizassem os estudos daquilo que é Sagrado.

O valor daquilo que possuimos

A Igreja Católica nos acompanha desde o nascimento até a morte, os Sacramentos perfazem uma roda a nossa volta, nos protegendo o tempo todo, cada qual em seu momento certo. O Bispo Emérito de Roma, Papa Bento XVI nos desafia a ler artigos de outras fontes para conferirmos aquilo que é o certo e verdadeiro. Já o fiz, várias vezes e é realmente verdade. Muitos escritos orientais fazem menção aos Sacramentos Católicos como coisas certas e corretas de uma forma tão enfática que nunca havia visto nos escritos ocidentais.

A necessidade de se fazer valer cada palavra de Deus é tanta que nos dá até vergonha de termos tudo isso de “mão beijada” e não valorizarmos. Somos realmente pessoas de sorte e não temos a menor noção disso.

Perda de tempo

Com tudo isso, ainda existem pessoas que insistem em perder o seu tempo e o nosso em picuinhas, fofocas e em profecias sem nexo, pessoas que não aceitam as palavras dos Pastores, do Santo Padre, o Concílio Vaticano II e que esperam tudo de ruim. Aguardam um Concílio Vaticano III para ter um novo assunto a discordar.

São esses os “cristãos tíbios” que tanto se referiu Bento XIV, como também o Papa Francisco, eles temem tudo e todos, temem perder a fé. Como se fosse possível perder o que nunca se teve. Temem o Ecumenismo, como se os “evangélicos” pudessem nos ensinar algo novo. Temem imagens e palavras, como se desconhecem a origem de tudo, Deus!!!

Pouco se pede, muito se recebe

A Igreja Católica oferece o perdão e remissão de nossos pecados, basta pedir a Deus e invocar a intercessão de Nossa Senhora. Tudo tão simples, mas nos cansamos fácil, nos cansamos de pedir e rogar, mas Ele não se cansa de perdoar. Temos de ter em mente que a Igreja Católica representa um Marco na história humana, que somos um princípio, somos imitados e motivo de muitas discussões.

Perdemos os princípios antigos da Catequese, do ensinar, não estamos mais preparados para guiar, a inanição e as facilidades da vida moderna nos atingiram em cheio. Quando convidados para uma cerimônia ecumênica, parecemos gordos que reclamam da ginástica. Em vez de acender uma vela, reclamamos da escuridão.

“Protege Senhor a tua Igreja”: é tua! Com esta atitude ele dar-nos-á, no meio das tribulações, a paz que só ele pode dar. A paz que o mundo não pode dar, que não se compra; a paz que é um dom verdadeiro da presença de Jesus no meio da sua Igreja” Papa Francisco, Capela Santa Martha, 18/05/2013

Papa Francisco surpreende

Papa liga para a Cúria dos Jesuitas

Transcrevo aqui a notícia publicada pela News.VA sobre o contato que o Santo Padre teve com a Cúria Geral dos Jesuitas para agradecer a carta do Prepósito Geral da Ordem pela eleição do novo Sumo Pontífice. Ressaltamos aqui a simplicidade e a espontaneidade com que o Santo Padre se comunica com seus  sacerdotes:

2013-03-15 Rádio Vaticana
Cidade do Vaticano (RV) – Na manhã desta sexta-feira, por volta das 10h15 de Roma, o Papa Francisco telefonou para a Casa Generalícia dos Jesuítas a fim de saudar e agradecer ao Prepósito-Geral da Companhia de Jesus, Pe. Adolfo Nicolás, pela mensagem recebida na véspera.
O recepcionista respondeu o telefone e ouviu uma voz suave e serena que lhe disse: “Bom dia, sou o Papa Francisco, gostaria de falar com o Pe. Geral.”
O recepcionista quase lhe respondeu: “E eu sou Napoleão“, mas se conteve. Porém, lhe perguntou: “O senhor telefona em nome de quem”?
Então, o Papa entendeu que o jovem não acreditou que era realmente o pontífice quem estava no telefone e lhe disse novamente: “É verdade, sou o Papa Francisco. E você como se chama”?
O recepcionista respondeu com uma voz titubeante, dando-se conta do erro: “Meu nome é Andrea”. E o Papa lhe disse: “Como você está, Andrea”. E ele lhe respondeu: “Bem. Desculpe-me. Estou um pouco confuso”.
O Papa lhe respondeu: “Não se preocupe, gostaria de agradecer ao Pe. Geral pela bonita carta que me escreveu”. O recepcionista lhe respondeu: “Desculpe-me, Santidade. Um momento”.
A seguir, Andrea passou a ligação para Ir. Afonso, jesuíta gaúcho, secretário de Pe. Nicolás. “Pronto. Quem fala é Ir. Afonso”. E o pontífice lhe respondeu: “Sou o Papa e gostaria de saudar o Padre Geral”. E Ir. Afonso lhe disse: “Sim, um momento.” E enquanto caminhava em direção ao escritório do Pe. Geral disse ao Papa: “Santo Padre, parabéns por sua eleição. Estamos muito felizes com sua nomeação. Estamos rezando muito pelo senhor.”
O Papa lhe respondeu: “Rezando para que eu vá para frente ou para trás”? Respondeu-lhe Ir. Afonso: “Naturalmente para frente.” E o Papa respondeu com uma risada espontânea.
Emocionado, Ir. Afonso entrou sem bater no escritório do Prepósito-Geral que por sua voz olhou para ele surpreso. Ir. Afonso passou para ele o telefone e olhando em seus olhos disse: “É o Papa”!
Desde a eleição do Papa Francisco o telefone da Cúria Geral da Companhia de Jesus toca a cada minuto. (MJ)

Outro fato que pegou de surpresa aos jornalistas, foi a visita do Papa a Casa Internacional do Clero, a Casa Paulo VI, local no qual o  Cardeal Jorge Mario Bergoglio se hospedou no período pré-Conclave, o Pontífice voltou lá, na “via dela Scrofa” para pagar a conta referente aos dias de hospedagem.

Que Nossa Senhora rogue a Deus para que o Papa Francisco mantenha sempre esse ânimo e com toda essa energia nos conduza no caminho de Nosso Senhor Jesus Cristo!!!

Um novo Papa para um novo mundo

A inserção digital do Sumo PontíficePapa e a Internet

Em diversas frentes, Bento XVI está se fazendo presente no mundo digital, com um portal de notícias, Facebook, Twitter, i-pads, Android, livros digitais e aplicativos. Uma presença que se faz mais próxima e por trás desses recursos, uma empresa espanhola, a  Agência 101.

Seu diretor, Gustavo Entrala, conta que tudo começou com uma carta enviada ao Vaticano, a resposta veio em 4 meses e ele fez a primeira visita com sua equipe a Santa Sé à dois anos atrás. De início, seu objetivo era tornar familiar aos funcionários, o uso da internet e de ferramentas digitais. O sucesso começou e foram convidados seis meses depois para uma nova viagem.

Com o portal, “news.va”, conseguiram reunir as mídias já utilizadas pelo Vaticano, como rádio, televisão, jornais e agências de notícias e isso os colocou num novo rumo, as redes sociais. O fato é que o Facebook tinha mais audiência que o portal.

Uma nova etapa, a Agência 101, estava sendo reconhecida oficialmente pelo Vaticano e em junho de 2011, Entrala conta que auxiliou o Papa a enviar seu primeiro Twit e o i-pad usado, ele trouxera de Madri e foi ele mesmo que ensinou o Santo Padre. Para as questões de segurança, funcionários do próprio Twitter, vieram da Califórnia para prestar auxílio.

Apesar dos maus olhos com que a Santa Sé via o surgimento da Internet, parece que tão cedo não para. Está sendo elaborado para o fim do ano, livros digitais com as Homílias do Papa e sobre o Ano da Fé que se inicia agora.

Entrala diz não ver diferença entre promover uma marca pela internet ou uma instituição como a Igreja. O Catolicismo tem 21 séculos e um líder aceito mundialmente, que mais se pode querer, ele pergunta.

Para a saudação de Natal do Papa estão preparando um aplicativo que rode em Android e que possa ser visto em smartphones e tablets. Os católicos poderão receber a todo momento as mensagens do Santo Padre e acompanhar seus discursos, seus atos e suas peregrinações, devido a um conjunto de webcams  em Roma, pelo Vaticano e no Castelo Gandolfo. Em cada canto do mundo um católico poderá acompanhar.

O diretor da 101 termina dizendo, “Existem três grandes marcas no Mundo, a Igreja, a Casa Branca e o Real Madri”, claro que, como um bom espanhol.

Pontifex

Traga um pouco de Deus no seu dia a dia

Como encontrar espaços em um mundo estressado

Caminhando e orando...

Caminhando e orando…

Com a modernidade, tudo fica como um compromisso de agenda, ir trabalhar, hora para almoçar, buscar os filhos, ir ao dentista, a academia, comprar o pão e até ir a Missa. Mas e aquele de intimidade para conversar com Deus, aquele momento só seu e D`Ele.

A discrição é tudo

Muitas pessoas dizem não demonstrar em público qualquer ato religioso por vergonha, medo dos comentários ou porque podem ofender qualquer outro grupo religioso. Nesses momentos me lembro de minha infância e do conselho: Quando jejuardes, não tomeis um ar triste como os hipócritas, que mostram um semblante abatido para manifestar aos homens que jejuam. Em verdade eu vos digo: já receberam sua recompensa. São Matheus 6, 16.

Ninguém precisa saber o que você faz, a discrição além de tudo é sinal de respeito ao segundo mandamento, “não dizer o nome de Deus em vão”.

Quebrando a rotina

Quando se tem uma agenda apertada cada minuto conta e como abrir uma brecha nessa disciplina de ser humano moderno e hiperativo. Segundo o Papa Bento XVI, é necessário um método [ ] “…mas seguindo o método do próprio Deus. O método de Deus é aquele da humildade – ” [ ]  e completa dizendo “Não devemos temer a humildade dos pequenos passos e confiar no fermento que penetra na massa e lentamente a faz crescer. ( Matheus 13,33)”,  em sua catequese chamada “Como falar de Deus no mundo de hoje” de 28 de novembro.

  • Deixar um lembrete dentro de sua agenda e escrever nele a oração que você mais gosta,
  • No seu MP3 ou no celular, entre as músicas que você utiliza para fazer a caminhada, uma prece ou uma música, como um Canto Gregoriano para lhe chamar a atenção e dar o clima para uma “conversa” intima,
  • No seu navegador de internet, na sua pasta favoritos, um link para uma página de orações e frases sobre Deus,
  • Uma rotina dentro da rotina, no caminho do trabalho, uma rápida entrada em uma Igreja.

São pequenas situações que você cria no seu dia a dia, que podem ajudar a aliviar o seu stress e que permitem dar uma freada nessa “loucura” que se tornou o dia a dia  nas grandes cidades. Quanto você pode salvar em sua vida com isso, uma discussão a menos, um atrito a menos, um semblante mais agradável e estará mais confortável em seu trabalho e quando chegar em casa não terá mais aquela carga toda para descarregar em sua família.

Não existe espaço para aquilo que é ruim, se você preenche seu espírito com  Deus.

Crise religiosa ou crise de Fé

Atirar no que viu e acertar naquilo que não viu

Parece muito confusa, a  atual paisagem da fé em nossa sociedade moderna e digital. Após os dois últimos séculos, quando a fé havia perdido terreno para a razão e para o ceticismo e tudo o que se dizia espiritual fora classificado como “superstição” ou tradição “boba”, isenta de explicação lógica. Aparece a ciência quântica que revela que, o que nem sempre conseguimos explicar pode realmente existir, o que me lembra a frase abaixo:

“Achar que o mundo não tem um criador é o mesmo que afirmar que um dicionário é o resultado de uma explosão numa tipografia.” Benjamim Franklin

Apesar de anterior a época citada, ele foi direto ao ponto. E hoje, muitas pessoas estão retornando para antigas tradições e devido a pressão, Sua Santidade, o Papa, promulgou a carta Apostólica Motu Proprio, que autoriza a missa em latim em comunidades, as quais haja pedidos de fieis para a realizarem.  Segundo as palavras do próprio Sumo Pontífice:

Nas paróquias onde haja um grupo estável de fiéis aderentes à precedente tradição litúrgica, o pároco acolherá de bom grado seu pedido de celebrar a Santa Missa segundo o rito do Missal Romano editado em 1962.

Desta maneira a liturgia Romana passa a ter a Forma ordinária e extraordinária de celebrar. A Ordinária é aquela em vigor atualmente e, a extraordinária, o rito de Pio V, que tem como diferença a obrigação do Latim, calendário litúrgico e o Lecionário.

Ou seja, ao contrario de outras declarações,  Sua Santidade, não instituiu dois ritos e sim, duas formas de se celebrar a Santa Missa. Existem os que entendem isso, existem até os que aceitam, mas há muitos que não entendem, por isso, acredito, haja tantas discussões a respeito.

Ao puxar esse fio, Sua Santidade, está começando a desfazer um rolo. Um rolo que começou lá traz, no Concílio Vaticano II (CVII), cujo próprio Joseph Ratzinger participou como teólogo perito. E cinquenta anos depois, como Sumo Pontífice ele está aqui, aparando as arestas do Concílio. A maior dela é A Fraternidade Sacerdotal São Pio X, que manteve as tradições pré conciliares, como dito pelo seu fundador o Cardeal Dom Marcel Lefebvre. Rompendo assim com a Igreja dita “moderna” e criando um “cisma”, pois continuaram a ser Católicos, Apostólicos e Romanos pois diferente da Igreja Anglicana, cujo superior, seria o Rei da Inglaterra, a autoridade máxima continua a ser do Santo Padre.

Existem negociações a respeito, como a visita de Dom Bernard Fellay ao Vaticano e os comentários pululam em ambos os lados. Creio muito na capacidade do Santo Padre e que ele não tenha sido colocado neste posto em vão, pois muito mudou desde sua nomeação. Os jovens da geração Internet, procuram por uma fé que lhes foi negada pelos seus pais, a geração Hippie (filhos do Rock com Coca-cola), uma espiritualização com os pés no chão, algo que faça sentido e gere um êxtase (no bom sentido) religioso.

A volta do rito extraordinário é algo muito positivo, pois ele mantém a sacralidade e o mistério, próprios de um ambiente de introspecção e humildade. Condutas estas necessárias a quem quer realmente falar com Deus.  Este rito, apenas para exemplificar, foi defendido por muitos fiéis como minha mãe, que defendia a volta do modelo pré concílio, mas em sua época, não havia muitos que dessem ouvidos. A modernidade parecia um vírus que havia apanhado a todos.

Ao ler os manifestos de muitos católicos, me espanta o medo que possuem de festas como o Halloween, particularmente, tenho a mesma opinião do Carnaval, que na Idade Média, foi proibido pela Santa Sé. Mas nós bem sabemos que muitos que pulam Carnaval na terça-feira, estarão presentes na Igreja na quarta-feira de cinzas e até jejuam na sexta-feira Santa. Portanto como cristãos, não podemos ser cúmplices, mas devemos receber a quem desejar receber a verdadeira comunhão.

“…um cristão que se deixa guiar e plasmar pouco a pouco pela fé da Igreja, apesar de suas fraquezas, suas limitações e suas dificuldades, torna-se como uma janela aberta à luz do Deus vivo, que recebe essa luz e a transmite ao mundo.” Bento XVI, Catequese sobre a Fé da Igreja.

Se eu não pulo Carnaval, não vou voltar a cara para quem o faça, tenho que discernir bem, antes de julgar e quem sou eu para julgar?

Agora, o mais triste, são os ataques que sofremos por quem se diz “cristão”, mas não possui fé alguma. Até age como se o fosse, mas emite opiniões contrárias. Quando bendizemos Nossa Senhora, mãe de Nosso Senhor, a Virgem Santíssima, logo escutamos algo como, “superstição” ou “crendice”. Mas quando alguém fala, isto é do “cujo”, ou qualquer outro nome que queiram usar. Perdão, mas por respeito, não misturo na mesma frase, o nome Dela com coisas diferentes. Logo tem alguém confirmando:

– É isso, é verdade! Como se aquilo que veem de Deus fosse mentira, e aquilo que vem do pai das mentiras, fosse verdade. Mas quanta *@#@&%$¨, desculpem caríssimos Leitores, mas o que pensei é impronunciável, mesmo escrito.

O que devemos “combater”, sem violência, é claro! São os pronunciamentos contra a nossa fé, os ditos “cristãos” que em nada creem e não sabem o que é hermenêutica, a interpretação concisa e disciplinada das palavras sagradas. Como bem disse o Prefeito da Congregação para a Doutrina da Fé, Dom Gerhard Muller, a respeito de nossa conduta em frente a pessoas de outras religiões:

“Para um cristão, o respeito pela religiosidade dos outros não significa e não deveria significar uma renúncia à própria fé, à própria identidade e à verdade definitiva recebida, através da Igreja, na Revelação de Deus”.

Ou seja, nas devidas formas, revelarmos nossa situação como cristãos, Católicos, Apostólicos e Romanos e que não concordamos com opiniões contrarias a nossa fé, como no caso dos Santos.

“A Igreja católica, no seu ensino teológico, determina tudo isso com uma exatidão matemática.

A adoração, do lado de seu objeto, divide-se em três classes de culto:

1. culto de latria (grego: “latreuo“) quer dizer adorar – É o culto reservado a Deus

2. culto de dulia (grego: “douleuo“) quer dizer honrar.

3. culto de hiperdulia (grego: hyper, acima de; douleuo, honra) ou acima do culto de honra, sem atingir o culto de adoração.

A latria é o culto que se deve somente a Deus e consiste em reconhecer nele a divindade, prestando uma homenagem absoluta e suprema, como criador e redentor dos homens. Ou seja, reconhecer que ele é o Senhor de todas as coisas e criador de todos nós, etc.

O culto de dulia é especial aos santos, como sendo amigos de Deus.

O culto de hiperdulia é o culto especial devido a Maria Santíssima, como Mãe de Deus.”

Para quem se interessou, este texto é da Igreja On-line, portalcot.com, que com todo respeito, copiamos aqui para tentar esclarecer um pouco mais esse assunto. O texto original possui muito mais argumentos para aqueles que gostam de ler a Bíblia e dar interpretações particulares.

Como professava, Santo Inácio de Loyola: “Muita sabedoria unida a uma santidade moderada é preferível a muita santidade com pouca sabedoria.”  Por isso não me assusta, quem diz ter tanta fé, mas não respeita a tradição e não medita sobre um assunto antes de proferir sua opinião.

Para demonstrar isso, lembro de uma discussão atual, onde evangélicos, condenavam uma novela de televisão por fazer menção a São Jorge, como se ele fosse propriedade das religiões afro-descendentes, como Umbanda e Candomblé. Fato este, negado por membros dessas religiões. Pois, o que me chamou a atenção foi o modo displicente com que fomos tratados. O Santo é católico, apesar de alguns problemas sobre a veracidade de documentos que comprovem sua vida, ele foi canonizado e é o Santo protetor de diversos países, cidades e até time de futebol. Pois, por isso, a ele devemos respeito.

“Quando os convido a ser santos, peço que não se conformem em ser de segunda linha, mas que aspirem a um “horizonte maior. Não se conformem em ser medíocres.” Papa Bento XVI

Fontes: Frates in Unun.com e Portalcot.com

  • Calendário

    fevereiro 2023
    S T Q Q S S D
     12345
    6789101112
    13141516171819
    20212223242526
    2728  
  • Ich bin