Quem é o “machão”?

Até onde vai os esterótipos humanos?

Ultimamente estão aparecendo comentários de extremistas via redes sociais quanto a piadas, anedotas ou qualquer declaração que estes achem “ofensivas”, contudo, essas críticas são mais frívolas do que os comentários que visão anular. Como já dissemos em artigos anteriores, a grande quantidade de informações proporcionada pela Internet é inversamente proporcional à capacidade de estudo dos Internautas e por isso o resultado de um efeito “emburrecedor” nas pessoas.

A questão da UNIVERSALIDADE

Desculpem pelas maiúsculas, mas são necessárias, este é um dos princípios que está sendo o mais ignorado ultimamente, as pessoas reivindicam direitos, um espaço maior ao sol e que todos os seus sonhos se tornem realidade, mas se esquecem dos outros, esquecem que todos merecem receber o mesmo tratamento e que não é porquê uma classe reinvidicou ou que correu atrás de alguma mudança que apenas eles terão o direito de receber o prêmio.

No direito Romano, havia uma dualidade, a cada direito existe um dever equivalente, ou seja, se você possui o direito de ser “bem atendido” como está no Código de Defesa do Consumidor, possui também o dever de ser educado quando solicitar algum produto ou serviço. Contudo, ninguém reinvidica um Código de Defesa do Vendedor. Pois quando o cliente chega exigindo muito mais do que o funcionário pode realizar ou com truculência e falta de educação, ninguém sai filmando ou dando “print” na cena para “postar” em qualquer rede social.

Anedotas “machistas”

Da mesma forma são vistas aquelas antigas piadas entre homens e mulheres, em questões de relacionamento e posicionamento social ou devido as características próprias de cada um. Questões muito mais referentes aos esterótipos de cada sexo do que realmente com algum ensejo real. Vamos a um exemplo:

– “Perguntaram ao Guri do Uruguaiana, porque motivo a mulher foi feita da costela? Ele respondeu, que se fosse criada da picanha somente os ricos as teriam!

Essa anedota recebeu diversas críticas por parte das mulheres que se sentiram ofendidas mas que não entenderam direito o sentido da piada. No Rio Grande do Sul, a costela é algo tão importante e popular como o Fogo de Chão e o Chimarrão, possui um significado popular e tradicionalista que invoca a união do povo sulista. Por sua vez, a picanha, muito saborosa por sinal, é muito mais afamada por ser uma carne cara e de dificil preparo. Pois não são todos, os capazes de acertar o ponto de uma boa picanha.

Ao meu ver, não houve intenção nenhuma de ofender as mulheres nessa gracejo ou alguma intenção oculta que lhes dê uma posição de inferioridade ao homem. Agora, vamos analizar uma piada contrária que também saiu nas redes sociais mas que teve uma receptividade diferente:

Feliz era a Eva, que não tinha sogra, morava no Paraíso e não tinha ninguém dando em cima do marido dela!

Se formos analizar esse texto com o mesmo rigor com que o anterior foi criticada, o que teriamos: a mulher é tão rebelde que não admite nenhuma outra superior a ela, tão preguiçosa e indolente que só procura “água e sombra fresca” e tão egoista que para não ter perigo de perder o que possui, por ser totalmente insegura de suas qualidades, prefere que não exista nenhuma outra mulher no planeta.

Por gentileza, alguém em sã consciencia acreditou nas palavras que acabei de proferir? Nem eu, não aceito acreditar que alguma mulher seja assim, não podemos ser ingênuos e dizer que elas são perfeitas, mas para reunir todos esses defeitos na mesma pessoa é inaceitável. Ou seja, essas anedotas são análogas, nas palavras, o que as caricaturas são para as imagens. Algumas características do personagem são realçadas para lhe conferir um tom humorístico e que sejam mais marcantes, seria como aquela figura de linguagem, uma hiperbole, “que ocorre quando há exagero intencional numa idéia expressa, de modo a acentuar de forma dramática aquilo que se quer dizer, transmitindo uma imagem ampliada do que é real”.

Apenas para finalizar, os homens não se sentiram ofendidos, ou seja, percebemos que é apenas uma piada e deve ser tratada como tal e quanto as mulheres cabe aqui as palavras de Caetano Veloso, “não me venha  falar na malícia de toda mulher, cada um sabe a dor e a delícia de ser o que é…”

 

O ideal no casamento é que a mulher seja cega e o homem surdo.”  Sócrates

 

Anúncios
  • Calendário

    dezembro 2017
    S T Q Q S S D
    « nov    
     123
    45678910
    11121314151617
    18192021222324
    25262728293031
  • Ich bin