Relativismo, mas nem em Contos de Fadas

meu-malvado-favorito

O que mais me preocupo nesses tempos é quando a farsa comunista tem como alvo pessoas inocentes e indefesas como as crianças e adolescentes. Com a produção de desenhos nos quais as histórias são re-escritas com alterações nas posições dos personagens ou quando novas histórias são criadas com pontos de vista questionáveis.

Para quem já conhecia as histórias infantis, isso parece ter um mínimo impacto, porém para aqueles que estão construindo seus valores morais, isso pode ter consequências graves em seus julgamentos futuros e o torna mais suscetível aos processos de doutrinação criados pelo esquerdismo.

Vamos dar como exemplo uma frase que se popularizou na internet:

“O Lobo continuará mau, se você só ouvir a versão da Chapeuzinho Vermelho.”

Primeiro chamo a atenção para a minha escolha, “popularizou” em vez da que se esta em uso corrente e “politicamente correta”, o termo “viralizou” que é uma mostra clara da cafajestice esquerdista. Usar termos próprios de alguma matéria como medicina em situações cotidianas são sinais de que é um texto comunista tentando se dar ares de “cientificismo” ou de matéria que não poderá ser contestada. Pois o neologismo usado está fora de seu respectivo contexto o que o torna estranho para uma devida resposta.

Essa frase acima é de uma total cafajestice e safadeza, resposta curta e grossa, vá para qualquer cadeia e veja quem são os indivíduos que lá estão, suas histórias de vida e se são mesmo “inocentes” como alegam. Mesmo tirando uma pequena minoria de erros judiciais, a maioria não é nem um pouco inocente. Acordem e cheirem esse café!

Para complementar ainda, existem pessoas categorizando como “preconceito” o fato de não termos obrigação de nos socializarmos, muito menos os nossos filhos, com qualquer pessoa devido a sua aparência. Aqui vale o conselho da vovó:

“Não converse com estranhos.”

Isso mesmo e nossas avós não davam a mínima para a aparência da pessoa e essa regra hoje vale também para a internet, não aceite convite de estranhos, seja em qualquer rede social.

Para encerrarmos, vale lembrar o que diz a Ponerologia (estudo do mal) sobre os comunistas e “idiotas úteis” (seguidores fieis da esquerda que nem sempre assumem isso), não dialogue ou discuta com esse tipo de pessoa, diferente dos seres humanos normais, quando em situação de confronto ou stress, as áreas do cérebro deles que são estimuladas, estão relacionadas com a dialética e a fala, por isso não possuem culpa ou empatia ou qualquer resposta emocional que seria inerente a uma pessoa qualquer. Eles respondem como se as ações ou opiniões deles fossem absolutamente normais, mesmo prejudicando outras pessoas ou até mesmo, mentindo.

Para mostramos, vale uma lista de desenhos animados que são de moral duvidosa: Shrek (todos eles), Deu a louca na Chapeuzinho, Megamente, Meu malvado favorito, Valente e outros. Chamamos a atenção que nem sempre a história é de toda contra a nossa moral e costumes, porém esse é o maior perigo, aquelas que tentam dar como certo pequenas noções de que ser um pouco “mal”pode ser o certo.

Na vida hoje, para se ter sucesso em qualquer empreendimento, seja nos estudos ou no trabalho, o que importa são os nossos valores. Isso fica bastante claro quando lemos livros como “O Monge e o Executivo”e melhor ainda quando assistimos pessoas que estão pondo na prática esses valores e colhendo resultados, como o Sr. Carlos Brito, CEO da AB InBEV, antiga AMBEV.

“Que tempos são estes, em que temos que defender o óbvio?” Bertolt Brecht

 “O óbvio é aquilo que ninguém enxerga, até que alguém o expresse com simplicidade.” Khalil Gibran

 

 

Dicas de Linguagem: para te ouvirem melhor.

66516130-e1472134205926-1024x576

Emma Watson realizou um impressionante discurso na sede das Nações Unidas.

“Geralmente levo mais de três semanas para preparar um discurso de improviso” Mark Twain.

A pergunta é, como melhorar o discurso para que a sua mensagem chegue de forma mais convincente?

Quando se fala da importância da voz, lembra-se do psicólogo norte-americano Albert Mehrabian que criou a formula 7-38-55, que significa que o que falamos corresponde a 7% da primeira impressão, 38% correspondem a como dizemos, o som da voz, a velocidade e a ênfase; e 55% fica com a aparência.

Depois de publicado seu trabalho Mehrabian esclareceu que inicialmente se tratava de comunicações interpessoais e não apenas para comunicações profissionais (grupos de trabalho).

A voz é o fator decisivo para definir qual a forma com que o conteúdo seja recebido, como cita o pesquisador  Walter Sendlmeier de Berlin, “A voz é um fornecedor muito importante de informações que vão muito para além do conteúdo do que é dito também” e ressalta “depende muito de como nós falamos”, ele comprova isso com estudos de discursos de políticos, que tendo muitas vezes o mesmo conteúdo, acabam dando resultados até mesmos opostos entre um e outro, como nos discursos de conferência de partidos.

O resultado pode até soar “triste”, pois não importa o valor daquilo que dizemos, mas sim a forma como o fazemos. Porém na opinião de Bettina Schinko, coaching de Comunicação e Discursos de Berlin, “Pela primeira impressão pode ajudar uma voz treinada, mas a longo prazo, vemos através disso quando alguém é apenas um bajulador”.

Uma voz boa e experiente não é um substituto para o conteúdo, mas você pode ajudar a melhor transportá-la, para ser ouvida e compreendida.

O que fazer para manter a voz saudável?

  • como-cuidar-da-vozBeba bastante água (em temperatura ambiente) enquanto estiver falando, em pequenos goles. Um corpo permanentemente hidratado significa pregas vocais hidratadas e com melhor flexibilidade e vibração. O ideal é ingerir de 7 a 8 copos por dia, porem, a cor da urina (clara) pode auxiliar no controle de uma hidratação adequada.
  • Preocupe-se em manter uma alimentação equilibrada, sem grande numero de horas em jejum, mastigando bem cada alimento a ser ingerido.
  • Coma maçã, pois é adstringente e limpa o trato vocal. Além disso, sua mastigação exercita a musculatura responsável pela articulação das palavras.
  • Use roupas confortáveis e de tecidos que absorvam a transpiração. Roupas leves e folgadas são idéias para quem trabalha com a voz. Sapatos confortáveis favorecem a postura correta.
  • Sono regular, momentos de lazer e atividades físicas adequadas também contribuem para uma boa produção vocal.
  • Procure respirar sempre corretamente, levando ar até o abdômen e expandindo as costelas. Não eleve os ombros e o peito como se fosse um pombo. E o abdômen que tem de se expandir como se estivesse cheio de ar.
  • Enquanto estiver falando, mantenha a postura de corpo ereta, no eixo, porem relaxada, principalmente a cabeça.
  • Evite competir com ruídos externos durante a fala. Fique atento a eles e procure não aumentar o volume de sua voz na tentativa de superá-los.
  • Tente não gritar. Se for possível, opte sempre pelo microfone ao falar em publico.
  • Fale pausadamente e de maneira correta, articulando bem as palavras, mas sem exagero.
  • Ter audição normal é importante, pois o monitoramento vocal é realizado pela audição.
  • Ao sentir vontade de tossir ou pigarrear, respire profundamente pelo nariz e engula a saliva várias vezes ou beba água, pois essas ações provocam um forte atrito nas pregas vocais, irritando-as.
  • Para diminuir a tensão na região dos ombros e do pescoço, boceje e espreguice diversas vezes ao dia.
  • Após o uso intenso da voz, procure permanecer em repouso vocal por algum tempo.
  • Outro fator importante é o ambiente de trabalho. Procure discutir com seus colegas e chefes meios que possibilitem um ambiente de trabalho agradável, capaz de diminuir a tensão e favorecer o diálogo. Uma voz saudável é resultado de cuidados individuais e de ações ambientas.

“Veja o discurso dos políticos: são todos otimistas; grandes canalhas são sempre otimistas e simpáticos, caso contrário não dão o golpe que querem dar. Mas hoje em dia, o otimismo é um modo de se vender no mundo.” Luiz Felipe Pondé

Baseado no artigo “Wenn du diese Sprechtipps beachtest, hören dir andere besser zu” de Manuel Bogner e Leon Krens na Ze.TT e nas dicas do site Clube da Fala do Rio de Janeiro.

Porque não sou ateu?

Como provar a verdade

Há muito tempo venho tentado provar  a minha fé, tive momentos em que totalmente absorto no racionalismo cheguei a questionar totalmente a religião que seguia e que talvez fosse melhor não acreditar em mais nada. Porém esses momentos passam, como dizia Voltaire “Um pouco de filosofia inclina o homem ao ateísmo. Profunda filosofia faz retornar o homem à religião”.

A primeira questão que proponho é a seguinte, ao caminhar pela vida me deparei com diversas situações e com momentos que considerei memoráveis, contudo imagino e me atormenta o fato deles serem únicos, como também sou único em todo o Universo e a mera imagem de que tudo o que acumulei em toda essa existência possa desaparecer com o final dessa máquina, chamada corpo humano, me parece um inexorável desperdício. Pois ainda não existe uma tecnologia que possa acessar todos os dados desse hard disk chamado “cérebro humano”.

Como os ateus e os céticos costumam se orgulhar de sua lógica como se fosse uma murralha ou escudo contra todos os males, iremos nos utilizar dela para apresentar os nossos pontos de vista:

Se porventura, eu me torná-se ateu, hipótese inicial e se ao falecer estivesse correto em minha escolha que bem isso me traria, pois como concebem os ateus, não existe outro mundo ou plano, apenas o fim, frio e duro. Como poderia eu comemorar minha vitória se nada mais existe e minha luz se apagar como uma simples chama.

Com essa mesma hipótese, se eu fosse ainda ateu e ao falecer, descobrisse estar enganado, que horrível seria pois chamais poderia aceitar o convite para entrar nos Céus, pois teria muitos motivos a me envergonhar e seria zuado por São Pedro por toda a eternidade.

Contudo, a hipótese contrária, se eu continuar Católico Apostólico Romano e estiver errado, não teria motivo algum a me envergonhar, pois como dizem os ateus, a morte é apenas um fechar de olhos e nada mais. Seria apenas como desligar uma lâmpada e nada mais sentiria.

Continuando na mesma hipótese, se continuo sendo o mesmo Católico e acreditando em meu Deus, Nosso Senhor, e estiver totalmente certo disso, que felicidade, que júbilo será alcançar os Céus e receber os cumprimentos de todos os Santos e Mártires de nossa Sagrada Igreja e estar em comunhão com Deus de todas as formas.

Ou seja, a sombra de medo que lançam sobre a Fé, nada mais é do que uma sombra, a mera presença da luz a destroi. Como se referia o Santo Padre, Papa Francisco em sua homilia da Missa de Epifania sobre os Reis Magos: “seguindo uma luz, eles procuram a Luz. A estrela aparecida no céu acende, nas suas mentes e corações, uma luz que os move à procura da grande Luz de Cristo. Os Magos seguem fielmente aquela luz, que os penetra interiormente, e encontram o Senhor.”

Semeador de sonhos

A vida é muito mais do que pensamos

Existem pessoas que não são destinadas aos problemas de serem ricas ou aos percalços de serem poderosos, mas são fadadas a um destino muito maior, o de alavancar o animo e a vida dos outros. Pessoas que usam as palavras como sementes de otimismo e bem aventurança. Arautos de mundos mágicos, de universos paralelos e terras de sonhos.

Elas lançam sem cessar, mas nem sempre suas ações vingam. Lançam sobre corações duros, isentos de amor e as sementes se perdem. Lançam sobre almas fracas que se deixam levar pelas águas do ceticismo e as sementes de novo se perdem. Mas de vez em quando, suas sementes caem sobre o solo fértil de boas almas e corações puros.

As sementes vingam e um gramado de boa vontade se torna uma mata de otimismo, um belo jardim onde vivem criaturas míticas e reinam situações inusitadas. Se somos responsáveis pelo mundo a nossa volta, ele será como o imaginamos e seremos como nós mesmos nos impusermos ser. Mas esses semeadores estão além disso, na maioria das vezes, incompreendidos, não vivem para si, mas para os outros e são alvo de pena.

A sua única falta é estarem indignados com o sistema, não aceitarem uma vida definida pela maldade e pelas injustiças. São pessoas que passaram pela vida com o objetivo de salvar o maior número de almas possíveis e se Deus permitisse, viveriam para sempre!

Aos que leem quadrinhos e livros de ficção, assistem filmes e desenhos animados e levam a sério a arte de fazer sorrir!

Nada é por acaso

Somos escravos de nossos hábitos, tenhamos bons hábitos

O cientistas insistem em dizer que o ser humano se apaixona devido a hormônios e que um encontro com outra pessoa seria um apenas um catalizador de uma reação química que provoca uma explosão de sensações e por final, um encontro amoroso.

Mas para um artista, o cenário é muito mais complexo, uma escolha de um determinado trem, o abrir de uma porta, o sair mais cedo do trabalho, ou seja, fatores e variáveis que sozinhas não dariam impacto em sua vida, mas que somados a outros pequenos fatores, juntos dão incríveis resultados.

Quem sabe o que irá acontecer a ele, amanhã, hoje a tarde ou daqui a cinco minutos, você pode virar uma esquina e encontrar o amor da sua vida. Tudo pode mudar em uma única partida, como um jogo de cartas marcadas. Por isso o lema, “somos escravos de nossos hábitos, tenhamos bons hábitos”, seria uma maneira de amenizar tais efeitos, apesar da intensidade do que pode ocorrer.

As pessoas tidas como “realistas”, na maioria das vezes são simplesmente “pessimistas”, os otimistas vivem no mundo da lua e a vida. Como fica? Tão complexa e maravilhosa, não para de dar demonstrações de ligações misteriosas, fatos matematicamente impossíveis e situações inimagináveis que não seriam aceitas, se não fossem a pura verdade.

Que chances, um médico popular na Inglaterra teria de se tornar ditador em um país árabe, foi essa a história do controvertido Bashar Al Assadi, presidente da Síria, que atualmente enfrenta a sua pior crise. O mesmo pode se dizer de um médico argentino, que adorava viajar e conhecer povos diferentes, acabou libertando um povo de uma ditadura e foi caçado até a morte, a vida de Ernesto ” Che” Guevara. Apesar de sermos milhões no mundo, como certas pessoas são atraídas para determinadas situações.

Uma criança é sequestrada com 14 anos, ele foge e promete se vingar, fato que cumpre anos mais tarde, não se é provado que tal situação ajudou a moldar a sua personalidade, mas o que se sabe é que tudo o que prometia, ele cumpria, como atravessar um rio e quebrar uma lei antiga. Nenhuma legião romana poderia atravessar o Rubião, limite ao norte de Roma, o qual nenhum general romano poderia atravessar com suas tropas. Feito isso, entrou para a história como o Conquistador, Júlio Cesar.

Um rapaz que monta uma empresa na garagem da casa dos seus país, que chances tem de subir na vida? Muitos, diriam, nenhuma, mas não é o que conta a biografia de Steve Jobs. Casos de acidentes que dão certo, como a invenção do telefone. Graham Bell queria construir um aparelho para pessoas com surdez ou a Coca-Cola, criada inicialmente como medicamento, um tônico cerebral.

A própria Internet, aonde você pode encontrar tudo isso e muito mais, não existiria se não fosse uma série de “acidentes” e o empenho de pessoas que com objetivos distintos, acabaram criando um bem em comum. O exército entrou com a logística, as faculdades, com o compartilhamento de informações e comunicação científica e os cientistas com as ferramentas técnicas e muita teoria.

Agora, a Internet é hoje, fruto da ação de cada um de nós, as redes sociais não teriam seu sucesso sem a presença humana de seus usuários. Apesar da censura, dos grupos econômicos e dos governos, nós somos os responsáveis pelo destino de toda a humanidade!

Carta aos filhos

Que herança para o 12 de outubro

O que você gostaria de falar aos seus filhos no seu último sopro de vida, naquele último instante, quando o palco se esvazia e as luzes se apagam. Qual a imagem que você escolheria que eles guardassem de você. Como foi a convivência entre vocês, quantos momentos compartilhados e com que qualidade eles foram aproveitados.

Podemos explicar muito de poucas coisas, a simples presença de alguém pode falar muito, mesmo que ele não pronuncie nada. Pequenos gestos tem muito valor, quando mais nada vale a pena. O ser humano pode lutar tanto, enriquecer tanto que mesmo assim, não poderá comprar a paz de espírito como uma mercadoria.

Como disse Rudyard Kipling em seu Poema “Se“:

“[…] dar segundo a segundo, ao minuto fatal, todo valor e brilho […]”

O maior valor para o homem, no seu final, pode ser aquilo de que ele mais se queixou em sua vida, as relações com as outras pessoas, aquele embate diário, aquele conflito de vontades e interesses. Pais, amigos, familiares e os filhos, todos a sua volta, pedindo algo, reclamando e te sacudindo como um boneco de piñata, prestes a estourar em um monte de presentes e mimos.

Como você lidou com isso pode representar tudo agora, quantas vezes desligou o telefone e foi trocar a fralda de algum chorão, apesar de fazer hora extra e estar morto de cansado, você ficou algum tempo, sentado na cama, ao lado de alguém que estava com febre e esperou pacientemente ela dormir.

Pequenos rituais, como comprar um pastel de feira ou um chocolate na padaria, acompanhado desses seus adoráveis pestinhas que aguardavam ansiosos a sua presença de forma quase religiosa ou um compromisso intransferível. Por essas e outras, por algum tempo, você se tornou uma pessoa especial. Pelo menos, para essas pequenas pessoas que você cativou com tanto cuidado e carinho.

Apesar de a noite, você se lamentar escondido, em algum canto escuro, de não poder ter dado muito mais para eles, ou dos sonhos que não realizou, ou dos bens que não adquiriu ou dos negócios que não deram certo. Houve sempre a presença de alguém que retribuiu com um pequeno e sincero sorriso, o simples fato de você ter chegado em casa vivo.

Depois de tudo isso, nem mais uma palavra significaria tanto para você do que a presença deles, ali, naquele instante. Pois tudo o que foi feito, foi de valor, pelo menos para alguém que significou muito para você, desde aquele momento em que, de alguma forma mágica, uma nova vida apareceu no mundo e na sua vida!

Ironias da Vida II

Relacionamentos humanos

Que o homem é um ser social, todos concordam. Que nascemos em uma sociedade com regras de conduta e convenções sociais que podem soar como estranhas e ilógicas, talvez!?

Sim, o ser humano não é lógico e portanto, suas regras em sociedade, muitas vezes beiram a esquisitice. Damos nomes como hipocrisia ou sentimentalismo, mas na verdade, estamos tentando explicar aquilo que não tem fundamento nenhum como:

  • Para fazer sexo preciso beber primeiro e se me arrependi, digo que a culpa foi da bebida!
  • Para ser aceito em um grupo tenho de estar na “moda” desse grupo, mesmo sendo piriguete em um baile Funk!
  • Tenho que elogiar a roupa do meu chefe, mesmo achando cafona e aí de quem disser o contrário!
  • Uso a religião como desculpa para os meus infortúnios e como arma para atacar os colegas!
  • Detesto quem fala muito, por isso fico repetindo essa frase o dia todo sem parar! Ou até alguém se tocar e ficar calado!
  • Todos dizem que o importante é competir mas quando ganho porque “esfrego” isso na cara dos outros?
  • Moda é o que eu visto, fora de moda é o que os outros vestem!
  • A pessoa que melhor realiza a tarefa nem sempre é a melhor pessoa! Apenas não põe em risco o cargo do chefe!
  • Me digas com quem andas e te direis quem és! Num ônibus lotado fica difícil dizer: sou médico, mendigo, viúva, aposentado, encanador, motorista, pipoqueiro, loira, ruiva, morena, desdentado, bigodudo, careca, cabeludo etc…
  • Quando você está doente e os outros te ligam e perguntam -“Você está bem?”
  • O mesmo para o motorista do ônibus: “- O Sr. vai para o Tatuapé?”  ele responde “-Não, minha senhora, depois do serviço eu vou para casa mesmo!?
  • A mulher leva duas horas para escolher um par de sapatos para no final da festa voltar descalça para casa.
  • Basta um segundo para se apaixonar, uma conversa para iniciar um namoro, uns dois a três anos para fazer um casamento e uma vida inteira de terapia para esquecer a burrada que fez!
  • Quantos momentos gastamos pensando que não podemos fazer nada e quando fazemos não temos mais tempo para fazer alguma coisa!

O certo é que a vida é maravilhosa, decerto descobriremos isso apenas no último momento mas entender o que fizemos nesse mundo não acredito ser possível, não! O bom de aceitarmos a vida como ela é que ela não pede nada de volta, apenas flui como um rio, podemos decidir se queremos ser levados pela correnteza ou se nos plantaremos em pé ou se nadaremos contra a correnteza, não importa. O prêmio ainda assim vale a pena, uma vida cheia de graça!

  • Calendário

    junho 2017
    S T Q Q S S D
    « nov    
     1234
    567891011
    12131415161718
    19202122232425
    2627282930  
  • Ich bin