A Internet tem Alzheimer?

Segundo estudos na Estados Unidos, sim! A Internet como qualquer mortal, também esquece, mas não por causa da morte de células ou de velhice. A sobreposição de informações e deletar páginas que o autor considera desnecessária podem ser algumas das causas. Eles estimam que em dois anos e meio, um quarto das informações on-line de assuntos como A Primavera Árabe, a Gripe Suína desaparecerá.

O estudo foi baseado em seis grandes eventos e analisado tudo que pudesse ser relacionado a esse assuntos como, fontes, vídeos, textos e imagens. O estudo mostrou a diminuição do número de fontes citadas, com 40% em 2009 que foram devidamente registrados em servidores. Calcularam que entre 17% e 25% do material pesquisado não estava no local original ou em um dos arquivos on-line.

O ponto mais explícito são as fontes on-line, que foram recomendadas pelos usuários por as considerarem muito importantes mas que desaparecem. Outro exemplo são os perfis de usuários que são apagados.

Apesar disso existem projetos como o da Biblioteca Nacional da Alemanha para a coleta de material, como todos os tipos de sites, como estáticas e dinâmicas páginas HTML, blogs e  fóruns. Mas isso ocorre ainda de forma bastante lenta. As bibliotecas mal possuem verbas para manutenção de seus arquivos escritos quanto mais para armazenamento digital.

Não é apenas as ações nocivas de Hackers que devem ser policiadas, mas as nossas mesmo. Ao consideramos um assunto relevante hoje, não podemos, simplesmente, apagar o de ontem. E como se a sua boda de prata fosse mais importante que a sua festa de casamento. Pense nisso!

Fonte: Spigel

Anúncios