Acessórios para celular

Novos acessórios para novos usos

Quem não leva seu celular para todo os lugares, faz o que for, precisa do celular ao seu lado. Para essas pessoas, que um celular é tão imprescindível quanto os dedos das mãos ou uma colher, imaginamos novos acessórios tão necessários quanto esse aparelho:

  • Lenços umedecidos: quem não come com o celular na mesa, e a cada pedaço de frango tem o impulso de agarrar o celular, para esses, lenços umedecidos no celular. Você limpa as mãos e protege o aparelho.
  • Spray de perfume: para aqueles que não desgrudam do aparelho nem no banheiro, após usar… o banheiro é claro, você usa o spray de perfume. Funciona bem para aquelas que guardam o celular em cada lugar!
  • Luzes de direção: para os motoboys que usam o celular como parte do capacete, quando for dobrar uma esquina, o celular pisca informando os outros veículos.
  • Celular mouse: para os que usam celular e micro ao mesmo tempo, o celular com sensor de mouse é excelente para quem tem a palma da mão grudada no aparelho que pode servir também de leitor de código de barras.
  • Celular porco: basta uma fenda na parte superior e ele vira um porta moedas, ideal para esconder do seu irmão xereta e fica sempre a mão quando você precisar.
  • Celular ascendedor: para os multi-viciados, que não param de fumar e nem de enviar mensagens e pode ser complementado com uma capa que vira cinzeiro, que pode ser descarregado em qualquer lixeira.
  • Porta camisinha: para aqueles que podem tirar até as meias, mas não se separam do celular. Você não corre o risco de esquecer e nem perder.

Depois de tudo isso, será que alguém vai se lembrar para que serve mesmo um celular!!!

Estou doente!

As dores de minhas sensações

Quando não posso bloguear, adoeço,

Minha visão turva, meu peito incha,

Minha mente povoa, com milhares de letras,

Muitas voam, outras pulam ou rastejam

Quando não posso bloguear, adoeço,

Os dedos não param, procuram pela teclas,

Os olhos piscam, não enxergam o horizonte,

Só uma tela em branco, gritando por mudar,

Quando não posso bloguear, adoeço,

Minha alma grita, meu coração para,

O meu mundo perde sentido,

Como jardins sem cores, flores sem perfume,

Tenho febre em meus desejos,

Enjoo de meus alimentos,

Quando não posso bloguear, adoeço,

Não consumo mais, fatias de notícias,

Pedaços de imagens e goles de músicas,

O informativo não me desce mais,

Quando não posso bloguear, adoeço,

Me conectar, se torna mais um braço,

Uma perna ou um dente que cresce,

Algo que se me cortam, morro um pouco mais!!!

Dos hábitos e dos vícios

Como um pêndulo, de um lado ou para o outro

Antigamente, quando aprendíamos na escola os conceitos de hábito e vício, era fácil. A professora dizia, hábito é aquilo que sempre fazemos e é bom para nós. Vícios é aquilo que fazemos impulsionados por uma força externa e que não nos faz bem. Ela então dava exemplos:

Hábitos: escovar os dentes, pentear os cabelos, tomar banho, cortar as unhas e outros…

Vícios: fumar, beber bebidas alcoólicas, beber café, drogas (até alguns remédios) e outros…

Parecia bem fácil de distinguir, mas hoje, muita coisa mudou. Quando eu estava no ginasial, água era um bem que não tinha fim, ficava retornando, evaporava e chovia de novo. Hoje, a água pode ter um fim!

As descobertas científicas e médicas mudaram muitos conceitos: o café que era vilão, se tornou energético, ativa o cérebro e o metabolismo, uma pequena dose antes de fazer exercícios é aceitável para quem quer emagrecer. O chocolate, conhecida sobremesa, se torna vilã, seus altos níveis de gordura. Apenas recomendam o consumo do puro, 70%, que possui menos açúcar. O sal é tão prejudicial ou pior que as gorduras, a hipertensão é inevitável se não houver um rigoroso controle.

Certos hábitos, como escovar os dentes, que antes era benéfico, mudaram um pouco, o uso de enxaguantes bucais podem causar câncer. A procura de benefícios a qualquer preço, podem invariavelmente ter custos em sua saúde.

Médicos descobriram que os hábitos alimentares da infância e juventude predizem a futura saúde do indivíduo, como se criassem um registro. Os jovens com problemas alimentares e casos de obesidade, quando adultos, apesar de até emagrecerem aparentemente, não conseguem reduzir as taxas de açucares, sais e colesterol do sangue. Como se o organismo se “acostumasse” em ter altas taxas. O registro é mantido apesar das mudanças de hábitos alimentares, dietas e exercícios físicos. Isto pode ser percebido pelas altas taxas de mortalidade por enfartes e derrames entre pessoas acima dos 20 anos e abaixo dos 40.

A uns anos atras, muitos médicos aconselhavam o consumo de soja, em grãos, em pó ou em vários alimentos. Como resultado, muitas pessoas desenvolveram “intolerância” a soja, como uma alergia e se descobriu que o excesso desse alimento pode também ser nocivo.

Fato semelhante, aos alimentos grelhados, como filé de frango. Agora se descobriu que o alimento produzido sem gordura que é aquecido de forma direta, libera substâncias que foram modificadas pelo calor e que podem causar câncer. Esses estudos mostram que, mulheres que consomem carnes bem passadas tem 5 vezes mais chances de contrair câncer de mama do que mulheres que consomem carnes mal passadas.

Outro hábito, assim por dizer que caiu, foi o mito de dormir demais. Segundo a Fundação Espanhola do Coração, dormir mais de 9 horas por dia prejudica o coração e aumenta o risco de enfarte, devido ao longo estado de inércia do corpo que altera o modo de trabalho do coração.

Ou seja, para se diferenciar um hábito de um vício, hoje, devemos analisar além das vantagens e perigos do uso no momento, se haverá qualquer prejuízo ou benefício futuro. Para um melhor conselho é sempre importante a moderação. Na dúvida, não exagere e como eu sempre digo:

Somos escravos de nossos hábitos, tenhamos bons hábitos. Se descobrimos quais são!!!