Como restaurar a confiança e o compromisso

Uma revolução gerencial

Num cenário de globalização e concorrência acirrada, as empresa necessitam que seus colaboradores deem muito mais do que aquilo que lhes é pedido no contrato de trabalho. Um comprometimento gradativo e crescente com o papel da empresa na sociedade. Algo que vai além da produção, um esforço sensível, mas também intangível.

Mas o que ocorre nas empresas é totalmente o contrário. Da mesma forma que as pessoas aceitam seu papel na sociedade, como família ou como amizade, a pessoa escolhe seu trabalho. Ou na maioria das vezes, é escolhido por ele, mais precisamente pelo R.H. o que causa, grande frustração e pouca motivação.

O ambiente de trabalho se tornou repulsivo e as empresas pouco fazem para mudar isso. Ou seja, se o colaborador aceita as condições que lhe forem ofertadas. Tudo bem! Mas se tiver ressalvas, terá de acostumar com a rotina ou cair fora.

A coerção como ferramenta de controle

Cada vez mais, o trabalho é medido, controlado e fiscalizado. A razão dada para isso é tangibilidade, tornar os processos passíveis de se aferir para os gestores poderem preencher relatórios, formulários e gráficos. Ou seja, agregarem aos processos os Indicadores de Desempenho (como se diz na nova linguagem gerencial).

Mas esses indicadores não mostram que estão supérfluos, e seus resultados são redundantes e ineficazes. Pois sem o engajamento do empregado, de nada servem. No final das contas é o empregado que decide o como e o quanto fará de seu serviço.

O empregado começa a controlar a situação, apesar do gestor tentar lhe indicar este ou aquele caminho. Na medida em as tarefas são realizadas, cada vez mais, o empregado fica sem incentivo e frustado e o gerente lhe poda qualquer iniciativa ou inovação. Para combater os parâmetros, os colaboradores se colocam em situação de “burocratas” e realizam as tarefas por patamares cada vez mais baixos. Dando aos seus chefes sinais de insatisfação que por via de regra, não são entendidos.

A resposta para isso seria uma volta a simplicidade e ao compromisso. Os funcionários trabalham com desconfiança e para terem prazer naquilo que fazem precisam ter uma nova visão de seu trabalho dentro e fora da empresa. Os gerentes por sua vez, precisam de uma macro visão e repensarem seus objetivos. A missão da empresa tem de estar ligada a cada tarefa de forma a dar lhe uma importância nova e se tornarem peças chaves em uma grande cadeia de processos e trabalho.

“Mas, o planejamento só é ético quando visa um crescimento que possa se traduzir em melhor qualidade da vida coletiva, um cenário melhor para a vida de todos, e só é democrático quando procura incorporar todos os
envolvidos no processo de planejar.” João Caramez

Fonte: Le Monde, François Dupuy

Ironias da Vida: crises

Até Papai Noel está em crise

Devido a crise mundial, Papai Noel abre franquia de lanchonetes para vender Sanduíche de Rena e coxinhas de Anão. Mas a ANVISA informa que não aceitará a carne de anão se a embalagem não mostrar a data de validade.

A situação piorou para o Bom Velhinho quando o INSS resolveu embargar o seu pedido de aposentadoria. Pois o INSS alega que, trabalhar um único dia por ano, não é suficiente. Além disso, não poder provar que está em trânsito, pois sua aeronave não é aceita em nenhum aeroporto e ele não passa pela Alfandega para justificar tantos vistos, quantos diz ter e não apresentou nem as notas fiscais dos presentes que carrega em seu saco. Se não bastasse, os anões estão em greve e ameaçam entrar na justiça, pois não foram registrados pela CLT, conforme o acordo do sindicato.

Para quem já está planejando as compras do próximo ano, o Coelho da Páscoa se associou as Loja Bahia e distribuirá Ovos de Páscoa em 10 vezes sem juros. Quem mentira, né! Onde já se viu Judeu parcelar em 10 vezes sem juros.

Fada do dente se moderniza e paga o dente com cartão de crédito. Quando a criança acorda, em vez de dinheiro, encontra o comprovante da fatura. O hum real será creditado em sua conta corrente, isto é, quando ele tiver idade para ter uma.

Polêmica no mundo da música, Formiga processa Cigarra por pirataria. As composições tocadas pela Cigarra nesse último verão, na verdade, seriam da Dona Formiga. Que não toca nada, mas prova com documentos registrados em cartório. Quanto trabalho, hein!

Para o mundo real

Se você esquece uma conta e paga no dia seguinte do vencimento. Será lhe cobrado Multa e juros, correto? Mas se você pagar a mesma conta dez dia antes do vencimento, não terá direito a nenhum desconto. Isto é justo? Tem gente que diz que é certo.

Os bancos lhe emprestam o mesmo dinheiro que você deposita na Poupança, mas cobra 10 vezes mais em a taxas, do que paga em juros da poupança. Pode?

Se você deve Impostos ao governo, eles inventam um monte de brechas na lei para que a dívida não expire (não caduque), mas AS MESMAS não valem quando o Governo te deve, se não for rápido, você fica sem nada. Pode?

Se você comete uma infração de trânsito, além da multa, receberá os pontos em sua carteira. Certo!? Mas se um carro oficial do Governo, tipo da Prefeitura ou dá  Câmara de Vereadores se envolver em um acidente. Quem pagará o pato? Os carros oficiais que por convenção possuem placas 01, 02 e outras, não estão na lista de veículos nacionais, ou seja, não lhe serão emitidas multas e portanto, quem estiver dirigindo não receberá pontos em sua carteira. Pode isso? Ou é muita safadeza.

Muita coisa ruim acontece, se as pessoas boas e justas nada fazem!!! Pense nisso e faça alguma coisa!