São Mateus: trânsito conturbado

Com trânsito, nem santo pode!!!

Nem o santo resolve o trânsito em São Mateus

Apesar do bairro se chamar São Mateus, nem milagre pode resolver os atuais problemas de trânsitos na Zona Leste de São Paulo. Os problemas são crônicos e cada vez mais geram mais incômodos à população.

Quem vive em São Mateus e trabalha em outros bairros de São Paulo, conhece bem os problemas dos chamados Horários de Pico: ônibus super-lotados, falta de veículos, linhas extremamente longas, veículos quebrados, falta de fiscalizam e orientação.

  • Ônibus Super-lotados: no início da manhã é o que mais se encontra, é causado pela falta de veículos na linha que passam em intervalos muito maiores do que aqueles informados pelo serviço da Prefeitura. No caso dos chamados “perueiros”, se agrava devido ao incentivo que a Prefeitura dá aos mesmos: o pagamento por bilhete passado.
  • Falta de veículos: os sindicatos dizem que são as empresas que seguram veículos nas garagens, outros dizem que falta mão de obra, motoristas e cobradores.
  • Linhas extremamente longas: o planejamento das linhas está desatualizado pelo número de usuários. Quem pega na metade do caminho, muitas vezes vê o ônibus passar direto pelo ponto. Fato que nem é culpa do motorista e sim da Super-Lotação que o impede de colocar mais pessoas. Afinal, ônibus não é feito de borracha, ele não estica.
  • Veículos quebrados: panes nos freios, caixa de câmbio, embreagens e parte elétrica são comuns, tendo linhas que aparecem pelo menos um ônibus quebrado por semana. Outra questão que afeta em muito São Mateus são os “trólebus” ou ônibus elétrico, apesar dos investimentos da Prefeitura em novos veículos, isso não solucionou a questão das falhas no suprimento de energia para os veículo. Novos ou antigos, eles param do mesmo jeito se não tiverem energia.
  • Falta de fiscalização e orientação: os pontos finais que ficam dentro dos bairros mais distantes carecem de uma melhor fiscalização para que os problemas acima mencionados sejam melhor vistos pelos setores responsáveis da SP Trans. E a falta de fiscais de trânsito, os “amarelinhos” nas principais vias do Bairro, como a Avenida Mateo Bei e a Avenida Sapopemba ajudam a intensificar os problemas. Um acidente, um carro quebrado ou um farol sem energia causam graves transtornos e atrasos para a população.

As vezes, com um pouco de vontade política pode se fazer muito. Na Avenida Mateo Bei, existem muitos policiais que fazem o chamado “bico de farda“. Uma política implantada pela PM do Estado para desincentivar os policiais a praticarem bicos ilegais, nos quais eles correm até risco de vida. Não poderia se fazer uma proposta para a corporação e deslocar alguns membros para atenderem o trânsito no horário de pico.

Outro ponto seria a mudanças de rotas que passam por vias extremamente carregadas e adicionar novas rotas, mais curtas, o que poderia gerar interesse de “perueiros” em explorar novos nichos. Não haveria um aumento direto da frota, fato este que os órgãos públicos enfatizam ser impossível, uma vez que as vias em São Paulo estão chegando ao seu limite de capacidade e cada ônibus a mais, ocupa o lugar de 3 a 4 veículos pequenos.

A população de São Mateus aguarda com ansiedade que o resultado dessas eleições, seja ele qual for, traga alguma melhora para o sistema de tráfego e o trânsito local.

Escritor Artista!!!

Arte em forma de texto,

As letras são como a argila que aperto em minhas mãos,

Aperto em minhas mãos e escorre por entre meus dedos,

Escorre pelos dedos e inunda a minha pena,

Inunda minha pena, que a modernidade chama de teclado,

Teclado, que se piano fosse, nem uma nota soaria,

De minha pena, pousa no papel branco,

No Papel branco, nem pintor sou, mas tela se chama,

Tela que posa de quadro, que nem mágica, as palavras se formam,

Palavra por palavra, o texto se cria,

O texto se cria, onde nada antes havia,

Nada antes havia e agora se ergue uma escultura,

Se ergue uma escultura, que quase posso tocar,

Quase posso tocar, contudo ela minha alma toca,

Ela minha alma toca, aquilo que na ideia começou,

E num sentimento terminou!