A Europa nas Nuvens

Estrutura da Computação em Nuvens

A Europa se prepara para o Cloud Computing (Computação em nuvens) através de uma série de medidas anunciadas por Neelie Kroes, vice-presidente da Comissão Europeia. Esta tecnologia foi apresentada inicialmente por empresas americanas como o Google (Google Drive), Apple (Dropbox), a Microsoft (Skydrive) e os serviços da Amazon Web.

As medidas são para assegurar compatibilidade entre os serviços oferecidos (interoperabilidade), a liberdade de circulação dos dados, a certificação de empresas para maior credibilidade aos novos contratos. As normas seriam publicadas a partir de 2013.

Diferente do resto do mundo, como o Brasil, que ainda não possui leis que garantem a segurança dos dados, tanto em servidores como em nuvens. A Europa prova que quer ser um centro de dados bem estruturado para atrair novos investimentos e empresas de todo o mundo que queiram desfrutar desses serviços.

Segundo a Comissão Europeia, esses tipos de serviços serão responsáveis em cria 2,5 milhões de empregos e uma renda de 160 milhões de euros por ano até 2020. As medidas serão repassadas aos Estados membros.

O principal objetivo é fazer frente a entrada dos serviços das empresas Americanas e dar uma resposta sólida com empresas europeias melhor preparadas.

Outra questão levantada com a computação em nuvem é a respeito dos direitos autorais, o que está sendo apreciado na Conselho de Propriedade Literária e artística, mesmo sob os protestos da entidades de defesa dos direitos dos consumidores.

Interação Humana

Um lugar onde o ser humano é obrigado a permanecer com pessoas diferentes (muitos estranhos) em determinado período de tempo e poderia aproveitar para interagir se chama, o Metro. Mas tal fato está longe de se tornar realidade, ao invés de interação, nós vemos no Metro é fones de ouvido, cada vez maiores, celulares de vários modelos, livros (quem disse que brasileiro não lê) e por incrível que pareça, óculos escuros. Isso mesmo, existe gente que usa óculos escuros em um ambiente subterrâneo iluminado por luz fluorescente. Essas pessoas não aceitam outras pessoas e fazem de tudo para que qualquer não se realize: existem os que fingem dormir para não dar assento aos idosos, existem os que se fingem de surdo quando alguém pede informação ou pergunta a hora e até aquelas mulheres que agem como se fossem ser estupradas a qualquer momento com olhar agressivo e respostas ríspidas para um simples “Hoje tá quente, né!”.

Como eu ainda sou estrangeiro nessa cidade e meu sotaque é diferente daquele usual, me esquivo das regras locais de não falar com estranhos ou evitar contato visual, como ocorre com alguns pitbulls, isso pode significar sinal de briga. As pessoas, as vezes, necessitam de alguma palavra de ânimo em sua jornada ou de alguém para ouvir um breve desabafo de “como é ruim o meu chefe”. Todas as pessoas são boas e para que isso aflore é necessário apenas acreditar. Pequenos atos podem significar muito, como por exemplo, tenho ainda o costume de dizer “saúde” quando alguém espirra e por muitas vezes acabo ganhando um sorriso de algum mal humorado, que se espanta ao  ouvir essa antiga expressão.

Cultivar a bondade é como plantar uma semente minúscula que formará uma grande árvore! Pense nisso!

O Espelho

Segundo alguns especialistas em Educação Infantil, a criança descobre quem é ela somente após descobrir o outro. Se ele é menino, irá entender isso depois de conhecer uma menina, se é baixo é porque alguém é mais alta e assim por diante. Mas essa forma do cérebro funcionar tem seus pontos negativos e alguns dos pontos de maior controvérsia entre os humanos começa aí. A pessoa ao se distanciar do outro e enxergar nele o diferente também irá projetar aquilo que não quer em si no outro. A hipocrisia, a mediocridade e o egocentrismo começam nesse lugar. Cada uma delas pode ser vista por essa projeção: na Hipocrisia vemos a máxima “Faça o que eu mando, mas não faça o que eu faço”, imortal frase de do “Sermão do Sexagenário” que fala sobre a Igreja Católica mas serve para todos nós. Na mediocridade temos o caráter imediatista e pragmático de só fazer aquilo que lhe trará algum retorno, a preguiça de alcançar maiores objetivos e de alçar voos​ mais altos. No Egocentrismo existe algo um pouco pior, a pessoa que o tem, não pensa apenas em si como centro do Universo, mas pensa em prejudicar o outro, sua felicidade não reside em apenas vencer mas em derrotar alguém. Ser o primeiro no pódio não será suficiente se não houver um segundo lugar.

Estas falhas de caráter podem ser vistas em diversas situações, em menor ou maior grau, como no preconceito, nas perseguições ideológicas, no fanatismo religioso e nas torcidas organizadas.

Somente quando se alcança o sentimento de empatia, se colocar no lugar do outro, é que podemos ajudar a nós mesmos ajudando outra pessoa. Descobrimos quem somos ao descobrirmos que existem pessoas diferentes de nós e nos redescobrimos ao procurar semelhanças na dor das outras pessoas.

Traduções e Linguagem

Exemplo de piadas inteligentes, mas fora do nosso quotidiano.

Quantas vezes encontramos um filme dublado no qual as piadas não fazem sentido ou não têem graça nenhuma, melhor explicando, você entende mas no Brasil não tem graça. Quantas vezes usar um tradutor(ferramenta) e a palavra encontrada não fazer sentido no meio da frase. Essas são situações comuns de perceber, para quem fala em mais de um idioma, porque digo isso, porque apenas quem fala é que pode encontrar sentido nessas falhas de comunicação.

Apenas quando se fala outro idioma é que podemos analisar melhor o nosso, quais idéias correspondem a quais palavras e as nuances das sintaxes. A sutileza é a chave e os detalhes por menores que sejam são importantes.

Agora, o que é discutível é a ditadura que existe por traz das traduções. Devido a fatos sociais, certas traduções são aceitas, outras não. Por exemplo: num filme dublado em Português, os nomes aparecem no idioma original, a pronúncia, e muitas pessoas usam esses nomes posteriormente para batizarem seus filhos, e o pior, numa forma de escrita que combina fonética e muita imaginação.

Quem poderá regulamentar isso e quando a sociedade será consultada de verdade. Basta de mudanças na gramática que não servem pra nada. Não voltaremos a pertencer a Portugal pois nem eles assim o querem. Oh raios!!!

Símbolos no quotidiano

Quando estamos em nossas caminhadas diárias, nem nos percebemos da imensa quantidade de símbolos utilizados em nossa sociedade moderna. Muitos possuem origem na tradição, outros, na religião, e outros, em meras superstições.

Cada qual, tem motivo para se apresentar em determinado lugar ou ter sua presença em determinado momento de nossa história. Como um bolo em festa de aniversário, se me permitem um exemplo bastante popular e comum. As pessoas estão tão bombardeadas por informações que nem se percebem de símbolos ocultos em imagens e em casas, monumentos ou nas próprias pessoas.

Uma prática que se estendeu a muitas pessoas de classes e idades diferentes foi a da tatuagem, o número de pessoas tatuadas cresce a cada dia e os motivos de cada nova tatuagem também. O nascimento de um filho, um grande amor, músicas favoritas ou religiosos, os temas provam que a imaginação humana pode ser infinita, mas e quanto a origem desses temas. O uso de determinada figura hoje obedece muito mais ao senso estético da pessoa do que a simbologia, ou seja, o estudo da origem e das correspondências simbólicas, não se leva em conta, qual grupo criou ou utilizou esse símbolo e quais as conseqüências que ele produziu em sua história. A Cruz das Caravelas foi utilizada na Ordem Jesuíta e anteriormente pertenceu aos Cruzados até a sua extinção, quem tatua uma cruz dessas, não está nem próximo de ser perseguido como os Templários foram ou ligado de qualquer forma ao passado de guerras que foram as Cruzadas.​

Qualquer tipo de censura ou perseguição ao uso de determinados símbolos prova ser em primeiro lugar, um preconceito, pois não é baseado na situação atual tanto do símbolo como da sociedade em que está inserido e é uma infantilidade se pedir vingança por coisas que ocorreram no passado e que foram possíveis devido a fatores como tempo e lugar. Jamais pode se imaginar que em condições diferentes os mesmos fatos ocorram e se a História representa um aprendizado que seja o de abolir qualquer espécie de violência.